16 passos para abandonar pensamentos suicidas

Você pensa na própria morte com frequência? Acha que sua vida não vale a pena? Está com vontade de desistir e acabar com tudo? Sempre há tempo de sair dessa. Veja 16 passos que você precisa seguir com urgência para recuperar o desejo de viver.

1. Procure ajuda profissional o mais rápido possível

Você está com vontade de acabar com a própria vida? Ligue imediatamente para o numero 141, o telefone do Centro de Valorização da Vida. Mais de 2000 voluntários colaboram com o projeto, que trabalha há décadas com prevenção de suicídios escutando, aconselhando e mostrando às pessoas que elas não estão sozinhas. O CVV oferece atendimento emergencial através de chat, Skype, email ou telefone.

É indicado também procurar um psiquiatra, psicólogo, coach ou terapeuta. De qualquer maneira, sempre procure a ajuda de um profissional ao primeiro sinal de pensamentos suicidas.

2. Aceite a ideia de que você pode receber ajuda e seus problemas podem ser superados

A maioria dos suicidas em potencial acredita que ninguém pode ajudá-los. Terrível engano. Para todo problema, há uma solução.

Perdeu o emprego ? Você pode conseguir outro melhor. Sua empresa quebrou ? Comece de novo por outro caminho. Foi diagnosticado com uma doença incurável ? A vida ainda pode lhe oferecer muitos prazeres. Perdeu uma pessoa amada? Você pode escolher honrar sua memória.

3. Não sinta vergonha

Apesar de muitos considerarem o suicídio como um ato de covardia, nunca tenha vergonha de revelar o que você está sentindo. Lembre-se : você não é os seus pensamentos e seus pensamentos nem sempre correspondem à realidade.

4. Estreite os laços com a família e os amigos

Se você chegou a esse ponto, conexões sociais e calor humano são cruciais. Quase sempre, a família e os amigos tentam dar o melhor de si para ajudar e apoiar seus entes queridos. Por isso, abra seu coração a eles.

Na maioria das vezes, nem as pessoas mais próximas conseguem perceber que você está enfrentando um momento difícil. Entenda que talvez eles não consigam perceber sozinhos os sinais, nem podem ler seus pensamentos para descobrir o que está acontecendo.

5. Procure um grupo de apoio

Você pode procurar um grupo de apoio presencial ou compartilhar suas angústias em um grupo no Facebook. Falar livremente sobre a sua situação pode gerar um efeito catártico e ser extremamente libertador.

Você vai se surpreender ao descobrir quantas pessoas sofreram com os mesmos pensamentos e os mesmos problemas e conseguiram encontrar forças para superá-los. Essas pessoas não irão julgá-lo e ainda terão muitos conselhos valiosos a oferecer.

6. Abra-se com alguém sobre seus problemas

Muitos suicídios poderiam ter sido evitados apenas com uma comunicação melhor entre as pessoas. Compartilhar seus pensamentos e problemas com alguém é o primeiro passo em direção à recuperação.

7. Aceite-se como você é

Ninguém é perfeito. Porém, a boa notícia é que você tem total capacidade para melhorar em quase todas as áreas da sua vida.

A aceitação é a chave da transformação. Aceitar quem você é e o lugar em que está não significa resignar-se. Pelo contrário, lhe dá poder para fazer uma avaliação sincera e lidar com os problemas sem ficar na defensiva.

8. Cultive a gratidão

Pense em todas as bênçãos que você já recebeu, e poderá se surpreender sobre quão boa sua vida tem sido.

Primeiro, liste todas as coisas boas que já lhe aconteceram, desde seu nascimento até hoje. Depois, lembre-se de todas as pessoas às quais você deve ser grato por algo que lhe fizeram : podem ser seus pais, professores de escola ou até mesmo o motorista de ônibus, por lhe sorrir todas as manhãs.

Então, faça uma lista de todos os bens materiais que você possui e pense naqueles que nada têm. Por fim, pratique a gratidão ao longo do dia, agradecendo por todas as pequenas coisas que costumam passar despercebidas : o canto de um pássaro, o cheiro do café fresco de manhã, uma mensagem de um amigo, a água quente do chuveiro.

9. Pratique a bondade

Quando fazemos algo bom para alguém, sentimo-nos bem. Em um nível espiritual, a bondade faz vibrar nosso espírito, que entra em ressonância com o nível mais profundo de nosso ser.

No aspecto bioquímico, a boa sensação que experimentamos é devida ao aumento da dopamina no cérebro, que produz naturalmente uma elevação de humor.

Por esses motivos, a bondade é um excelente remédio contra a depressão e uma ótima maneira de aumentar a autoestima. Veja o nosso artigo « Ser bom faz bem: os 10 beneficios da bondade ».

10. Liste todas as pessoas que sentiriam a sua falta

No estágio atual, você pode duvidar, mas com certeza a sua falta será sentida se você morrer. Fazer uma lista de todas as pessoas que ficariam tristes com a sua partida pode ser o suficiente para lhe dar forças e reavaliar a decisão de tirar a própria vida.

11. Pense no fardo que você deixará para as pessoas que ficam

Sua decisão vai afetar as vidas de muitas pessoas, a começar por seu/sua companheiro/a, seus filhos, sua família e amigos. Muitos deles se sentirão culpados pelo resto da vida por não terem percebido o seu desespero ou por não ter conseguido ajudá-lo. Outros ficarão devastados e podem inclusive desenvolver problemas de saúde.

Perceba que seu ato com certeza vai provocar consequências desastrosas e irreversíveis na vida das pessoas que se importam com você. Claro que você não é responsável pelas reações dos outros, mas parte da culpa será sua.

12. Comece a orar

Orar é uma forma de conectar-se com o divino e reconectar-se consigo mesmo. Peça por ajuda, sabedoria, orientação e força : no campo espiritual, sempre haverá alguém ou alguma força para ajudá-lo.

Você não precisa ir à igreja ou converter-se a alguma religião para estabelecer uma conexão com sua alma ou com o divino. A melhor oração é aquela feita no silêncio do seu coração.

13. Acredite que você tem a força necessária para mudar

Um antigo provérbio diz que Deus nunca permite que você carregue uma cruz pesada demais para os seus ombros. Acredite na sua força, e ela se tornará real.

14. Cerque sua vida de inspiração e beleza

Assista ou leia histórias inspiradoras sobre pessoas reais que superaram as adversidades e fizeram a diferença. Gandhi, Martin Luther King, Nelson Mandela, Viktor Frankl, Madre Teresa: todas essas grandes personalidades passaram por imensos sofrimentos.

Você também pode encontrar centenas de palestras e conferências na internet que vão inspirá-lo a continuar lutando. 

Nao esqueça de cercar-se de beleza ao mesmo tempo para estimular a inspiração: fotos, arte, flores, etc.

15. Elabore um plano para a sua vida

Fazer planos permite que você fique cara a cara com o problema em vez de fugir dele. Se você se comprometer a segui-los, você terá um guia para direcionar seu foco.

Um plano de vida deve incluir metas de curto e médio prazo, ocupações e tarefas a fazer. Caso tenha dificuldades, um profissional poderá ser de grande ajuda.

16. Considere que talvez o suicídio talvez não acabe com a sua dor

Na literatura espírita, tirar a própria vida é considerado um ato de traição. Segundo essa doutrina, a alma não poderá encontrar a libertação, ficará vagando pelos planos astrais mais baixos e continuará sofrendo. Outras religiões consideram o suicídio como o único pecado sem perdão.

Claro, não existem evidências sobre isso, mas são hipóteses assustadoras o suficiente para serem consideradas !

Números para refletir

  • Segundo estimativa da OMS, a cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio no mundo. Isso corresponde a quase 1 milhão de indivíduos que escolhem por fim aos seus dias a cada ano.
  • No Brasil, uma pessoa tira a sua propria vida cada hora.
  • O suicidio é a segunda maior causa de morte em pessoas entre 15 e 29 anos, principalmente homens. 
  • Devido à sua grande população, o Brasil esta na oitava posição em números absolutos, com uma taxa relativamente baixa de 5,8 por 100 mil habitantes – a OMS considera alta a taxa acima de 10%.
  • A cada suicídio adulto, há de 10 a 20 tentativas que não acabaram em morte.
  • De acordo com uma recente revisão de 31 artigos científicos sobre suicídio, mais de 90% das pessoas que se mataram tinham algum transtorno mental como depressão, esquizofrenia, transtorno bipolar e dependência de álcool ou outras drogas.

Steven Anthony, psicologo, life coach e terapeuta Dicas escritas por Steven Anthony, Life Coach, Psicólogo e Terapeuta da Life Terapias (Guarujá, SP). 

Artigo original: www.lifeterapias.com.br